Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 25 de junho de 2009

PROJETO: CONHECENDO O CRATO

NOSSA HISTÓRIA, NOSSO PASSADO
CONHECENDO O CRATO - Projeto realizado pelos alunos da EJA do Polivalente, com orientação dos professores: Rosinalva, Pablo,...


A culminancia do projeto foi realizado dia 24/06 no auditório da Escola
com a presença do Historiador - Humberto Cabral, íncone vivo da nossa história. Conhecendo o Crato resgata a história da cidade, fazendo uma analogia do passado e reflexão do presente.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

PREMIAÇÃO DOS JOGOS ESCOLARES JEC'S


PREMIAÇÃO DOS JOGOS ESCOLARES JEC'S

AGRADECEMOS O ESFORÇO DE NOSOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA, BACURAU E DARÇONE E A TODOS COLABORADORES PELA DEDICAÇÃO AOS NOSSOS ALUNOS NESTES JOGOS/2009. Parabéns pelas conquistas, mostrando que o POLIVLAENTE faz diferença, como escola integrada e de inclusão.







sexta-feira, 19 de junho de 2009

ARRAIAL DO POLI - 30 DE JUNHO DE 2009

" Patrimônio Cultural Intangível ou Imaterial compreende as expressões de vida e tradições que comunidade, grupos e indivíduos em todas as partes do mundo recebem de seus ancestrais e passam seus conhecimentos a seus descendentes.
Apesar de tentar manter um senso de identidade e continuidade, este patrimônio é articularmente vulnerável uma vez que está em constante mutação e multiplicação de seus portadores."
http://historiadoensino.blogspot.com/


O ArraiL do Polivalente acontecerá dia 30 d ejunho de 2009 - na área interna da Escola. Buscando manter e reafirmar as tradições populares - realizará a Festa Junina onde toda comunidade escolar está convidada.
SEMINÁRIO
SAÚDE E DIREITOS HUMANOS: Um passo para a cidadania.
DATA: 26 DE JUNHO (SEXTA-FEIRA) DE 08H ÀS 12H
LOCAL: EEFM Polivalente Gov. Adauto Bezerra.
SEMINÁRIO DE SENSIBILIZAÇÃO E PREPARAÇÃO DA:
Semana pela Livre Expressão Sexual: estimulando rede de prevenção, promoção à saúde e direitos humanoss.
PROMOÇÃO: GRADEC - GRUPO DE APOIO E DEFESA EDIVAL CARVALHO.

terça-feira, 16 de junho de 2009

CONTEÚDOS PARA ESTUDO - AVALIAÇÕES 2º BIMESTRE/2009

PROVAS 2º BIMESTRE/2009

CONTEÚDOS: ENSINO MÉDIO - HISTÓRIA GERAL
1º ANO- O EGITO ANTIGO
2º ANO- A REFORMA E A CONTRA-REFORMA/ O ABSOLUTISMO
3º ANO - AS TREZE COLONIAS INGLESSAS/ A REVOLUÇÃO FRANCESA

CONTEÚDOS: ENSINO MÉDIO - GEOGRAFIA

1º ANO - AS FORMAS DE RELEVO BRASILEIRO

2º ANO - GEOPOLÍTICA E O MUNDO NO PÓS-SEGUNDA GUERRA/ A GUERRA FRIA






quinta-feira, 11 de junho de 2009

DIA DAS MÃES - 30/05/2009

OMensagem Valor de uma Mãe

"MÃE! Pessoas que não têm guerra para desistir.
Pessoas que não fogem de nenhum compromisso.
Querem vencer, levem uma mãe.
Não tem nada que uma mãe não possa enfrentar.
A mãe não desiste nunca,
A mãe tem todas as forças do mundo a seu favor.
A mãe usa o maior escudo já existente.
O que você pensa ao falar de uma mãe,
Será muito pouco pelo que ela representa."










Nossos agradecimentos aos professores, funcionários, Sr. Sineval Roque, patrocinadores e em especial a todas as mães que nos prestigiaram com suas presenças neste evento que foi relaizado com todo carinho.

Homenagem do Núcleo Gestor -
Gestão: Tereza Ribeiro - Diretora.


quarta-feira, 10 de junho de 2009

CONTEÚDOS DO 2º BIMESTRE/2009 - SUPORTE AO ALUNO

TEXTO COMPLEMENTAR - GEOGRAFIA E MEIO AMBIENTE
1º ANO/ENSINO MÉDIO

“Ao longo da história a natureza foi sendo transformada pelo trabalho do homem, que passou a produzir um espaço com o objetivo de garantir sua subsistência. Esse processo de humanização tornou a natureza cada vez mais artificializada, graças ao desenvolvimento de técnicas. Expandiram-se as áreas agrícolas, desenvolveram-se as cidades e as indústrias, construíram-se estradas, enfim, cada vez mais novas técnicas foram sendo incorporadas ao espaço geográfico, transformando-o. Poucos lugares da superfície terrestre ainda não sofreram transformações. Diante desse conjunto de mudanças, os impactos causados ao meio ambiente, como a poluição dos rios, mares, florestas e cidades são os principais problemas enfrentados pela humanidade atualmente. Esta semana está sendo discutido em todo o mundo as questões que envolvem a sobrevivência do homem e do planeta terra, diante dos acontecimentos sociais, políticos, econômicos, culturais e ambientais, como forma de reverter tais problemas”.
Com base no texto, discorra sobre os problemas ambientais da nossa cidade, e os impactos causados pela ação do homem na alteração da paisagem local. E como você percebe de que forma a vida das pessoas podem ser afetadas a partir da degradação ambiental?


TEXTO; GEOPOLÍTICA E O PÓS-SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
A GUERRA FRIA

07. Discorra sobre a geopolítica e economia do período pós-Segunda Guerra, com base no texto a seguir:

“ Ao final da 2º Guerra Mundial, a derrota das forças do Eixo (Alemanha, Japão e Itália) e ao mesmo tempo, o enfraquecimento econômico, militar e político do Reino Unido e da França, levaram o mundo a um período de grandes transformações econômicas e geopolíticas denominado GUERRA FRIA, que se estendeu até o final do anos 1980. A guerra fria é a designação dada ao conflito político-ideológico entre os Estados Unidos (EUA), defensores do capitalismo, e a União Soviética (URSS), defensora de uma forma de socialismo, compreendendo o período entre o final da Segunda Guerra Mundial e a extinção da União Soviética.

É chamada de "fria" porque não houve qualquer combate físico, embora o mundo todo temesse a vinda de um novo combate mundial, por se tratarem de duas potências com grande arsenal de armas nucleares. Norte-americanos e soviéticos travaram uma luta ideológica, política e econômica durante esse período. Se um governo socialista era implantado em algum país do Terceiro Mundo, o governo norte-americano logo via aí uma ameaça a seus interesses; se um movimento popular combatesse uma ditadura militar apoiada pelos EUA, logo receberia apoio soviético.



TEXTO COMPLENTAR: REVOLUÇÃO FRANCESA
3º ANO/ENSINO MÉDIO
LEIA O TEXTO:
“A aceleração. Tecnologia. Produtividade. Ruptura. Revolução. O mundo tornou-se mais rápido na passagem do século XVIII para o XIX. Transformações em curso desde o século XV foram aceleradas peã Independência dos Estados Unidos, pela Revolução Francesa e pela Revolução Industrial, completando a transição do feudalismo para o capitalismo e favorecendo o aparecimento da sociedade burguesa, na qual ainda hoje vivemos...
Ao mesmo tempo que o capitalismo passava a reger o compasso da vida social, questionava-se a legitimidade do Estado e impérios coloniais em se apropriar, através de taxas e impostos, de parte das riquezas produzidas. Estavam em causa a liberdade da produção burguesa, a liberdade do controle da burguesia sobre a classe operária, a livre circulação de mercadorias, a relação entre cidadãos e seus respectivos Estados e das antigas colônias e suas Metrópoles. No centro dessas discussões, estavam os tributos. A Revolução Francesa é considerada pelos historiadores o marco que assinala o fim da Idade Moderna e o início da Idade Contemporânea. O movimento foi o mais poderoso golpe contra o Antigo Regime na França e repercutiu em toda a Europa e em várias regiões do mundo, inclusive na América. Os revolucionários franceses, sob o lema liberdade, igualdade e fraternidade, levaram os ideais iluministas às últimas conseqüências. Procuraram instituir um Estado caracterizado pelo maior participação política da população e pala diminuição das desigualdades sociais. Inauguraram assim um Estado que tinha em sua base o “povo” e o direito à cidadania”.

Com base no texto – discorra segundo seu entendimento sobre a Revolução Francesa e que aspectos são comparados as formas de governo atualmente. A exemplo do Brasil?
PROF. EDIVAN MOREIRA

BOA SORTE CAROS ALUNOS E ALUNAS.. ESTUDEM....
PROVAS 2º BIMESTRE/2009
CONTEÚDOS: ENSINO MÉDIO/ 3º ANO- REVOLUÇÃO FRANCESA


Revolução Francesa Antecedentes, Tomada da Bastilha, girondinos e jacobinos, monarquia constitucional, República jacobina, Robespierre, burguesia no poder, Napoleão Bonaparte, História da França, aspectos da economia, resumoQueda da Bastilha: marco da Revolução Francesa Contexto Histórico : A França no século XVIII A situação da França no século XVIII era de extrema injustiça social na época do Antigo Regime. O Terceiro Estado era formado pelos trabalhadores urbanos, camponeses e a pequena burguesia comercial. Os impostos eram pagos somente por este segmento social com o objetivo de manter os luxos da nobreza.A França era um país absolutista nesta época. O rei governava com poderes absolutos, controlando a economia, a justiça, a política e até mesmo a religião dos súditos. Havia a falta de democracia, pois os trabalhadores não podiam votar, nem mesmo dar opiniões na forma de governo. Os oposicionistas eram presos na Bastilha (prisão política da monarquia) ou condenados à guilhotina.A sociedade francesa do século XVIII era estratificada e hierarquizada. No topo da pirâmide social, estava o clero que também tinha o privilégio de não pagar impostos. Abaixo do clero, estava a nobreza formada pelo rei, sua família, condes, duques, marqueses e outros nobres que viviam de banquetes e muito luxo na corte. A base da sociedade era formada pelo terceiro estado (trabalhadores, camponeses e burguesia) que, como já dissemos, sustentava toda a sociedade com seu trabalho e com o pagamento de altos impostos. Pior era a condição de vida dos desempregados que aumentavam em larga escala nas cidades francesas.A vida dos trabalhadores e camponeses era de extrema miséria, portanto, desejavam melhorias na qualidade de vida e de trabalho. A burguesia, mesmo tendo uma condição social melhor, desejava uma participação política maior e mais liberdade econômica em seu trabalho.

A Revolução Francesa (14/07/1789) A situação social era tão grave e o nível de insatisfação popular tão grande que o povo foi às ruas com o objetivo de tomar o poder e arrancar do governo a monarquia comandada pelo rei Luis XVI. O primeiro alvo dos revolucionários foi a Bastilha. A Queda da Bastilha em 14/07/1789 marca o início do processo revolucionário, pois a prisão política era o símbolo da monarquia francesa.O lema dos revolucionários era " Liberdade, Igualdade e Fraternidade ", pois ele resumia muito bem os desejos do terceiro estado francês.Durante o processo revolucionário, grande parte da nobreza deixou a França, porém a família real foi capturada enquanto tentava fugir do país. Presos, os integrantes da monarquia, entre eles o rei Luis XVI e sua esposa Maria Antonieta foram guilhotinados em 1793.O clero também não saiu impune, pois os bens da Igreja foram confiscados durante a revolução.No mês de agosto de 1789, a Assembléia Constituinte cancelou todos os direitos feudais que existiam e promulgou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Este importante documento trazia significativos avanços sociais, garantindo direitos iguais aos cidadãos, além de maior participação política para o povo.

Girondinos e JacobinosApós a revolução, o terceiro estado começa a se transformar e partidos começam a surgir com opiniões diversificadas. Os girondinos, por exemplo, representavam a alta burguesia e queriam evitar uma participação maior dos trabalhadores urbanos e rurais na política. Por outro lado, os jacobinos representavam a baixa burguesia e defendiam uma maior participação popular no governo. Liderados por Robespierre e Saint-Just, os jacobinos eram radicais e defendiam também profundas mudanças na sociedade que beneficiassem os mais pobres.

A Fase do Terror

Maximilien de Robespierre: defesa de mudanças radicaisEm 1792, os radicais liderados por Robespierre, Danton e Marat assumem o poder e organização as guardas nacionais. Estas, recebem ordens dos líderes para matar qualquer oposicionista do novo governo. Muitos integrantes da nobreza e outros franceses de oposição foram condenados a morte neste período. A violência e a radicalização política são as marcas desta época.A burguesia no poder Napoleão Bonaparte: implantação do governo burguêsEm 1795, os girondinos assumem o poder e começam a instalar um governo burguês na França. Uma nova Constituição é aprovada, garantindo o poder da burguesia e ampliando seus direitos políticos e econômico. O general francês Napoleão Bonaparte é colocado no poder com o objetivo de controlar a instabilidade social e implantar um governo burguês.

Conclusão

A Revolução Francesa foi um importante marco na História Moderna da nossa civilização. Significou o fim do sistema absolutista e dos privilégios da nobreza. O povo ganhou mais autonomia e seus direitos sociais passaram a ser respeitados. A vida dos trabalhadores urbanos e rurais melhorou significativamente. Por outro lado, a burguesia conduziu o processo de forma a garantir seu domínio social. As bases de uma sociedade burguesa e capitalista foram estabelecidas durante a revolução. A Revolução Francesa também influenciou, com seus ideais iluministas, a independência de alguns países da América Espanhola e o movimento de Inconfidência Mineira no Brasil.
CONTEÚDO: ENSINO MÉDIO - 2º ANO.
A REFORMA PROTESTANTE E A CONTRA-REFORMA

Reforma Protestante e Contra-ReformaAs Reformas Religiosas, surgimento das religiões protestantes, luteranismocalvinismo, anglicanismo, Contra-Reforma Católica, Tribunal da Inquisição, Concílio de Trento, resumoMartinho Lutero: criador da religião Luterana Motivos O processo de reformas religiosas teve início no século XVI. Podemos destacar como causas dessas reformas : abusos cometidos pela Igreja Católica e uma mudança na visão de mundo, fruto do pensamento renascentista.

A Igreja Católica vinha, desde o final da Idade Média, perdendo sua identidade. Gastos com luxo e preocupações materiais estavam tirando o objetivo católico dos trilhos. Muitos elementos do clero estavam desrespeitando as regras religiosas, principalmente o que diz respeito ao celibato. Padres que mal sabiam rezar uma missa e comandar os rituais, deixavam a população insatisfeita.A burguesia comercial, em plena expansão no século XVI, estava cada vez mais inconformada, pois os clérigos católicos estavam condenando seu trabalho. O lucro e os juros, típicos de um capitalismo emergente, eram vistos como práticas condenáveis pelos religiosos.Por outro lado, o papa arrecadava dinheiro para a construção da basílica de São Pedro em Roma, com a venda das indulgências (venda do perdão).No campo político, os reis estavam descontentes com o papa, pois este interferia muito nos comandos que eram próprios da realeza.O novo pensamento renascentista também fazia oposição aos preceitos da Igreja. O homem renascentista, começava a ler mais e formar uma opinião cada vez mais crítica. Trabalhadores urbanos, com mais acesso a livros, começaram a discutir e a pensar sobre as coisas do mundo. Um pensamento baseado na ciência e na busca da verdade através de experiências e da razão.
A Reforma LuteranaO monge alemão Martinho Lutero foi um dos primeiros a contestar fortemente os dogmas da Igreja Católica. Afixou na porta da Igreja de Wittenberg as 95 teses que criticavam vários pontos da doutrina católica.As 95 teses de Martinho Lutero condenava a venda de indulgências e propunha a fundação do luteranismo ( religião luterana ). De acordo com Lutero, a salvação do homem ocorria pelos atos praticados em vida e pela fé. Embora tenha sido contrário ao comércio, teve grande apoio dos reis e príncipes da época.Em suas teses, condenou o culto à imagens e revogou o celibato.

A Reforma Calvinista João Calvino: reforma na FrançaNa França, João Calvino começou a Reforma Luterana no ano de 1534. De acordo com Calvino a salvação da alma ocorria pelo trabalho justo e honesto. Essa idéia calvinista, atraiu muitos burgueses e banqueiros para o calvinismo. Muitos trabalhadores também viram nesta nova religião uma forma de ficar em paz com sua religiosidade. Calvino também defendeu a idéia da predestinação (a pessoa nasce com sua vida definida).A Reforma Anglicana Na Inglaterra, o rei Henrique VIII rompeu com o papado, após este se recusar a cancelar o casamento do rei. Henrique VIII funda o anglicanismo e aumenta seu poder e suas posses, já que retirou da Igreja Católica uma grande quantidade de terras.

A Contra-Reforma Preocupados com os avanços do protestantismo e com a perda de fiéis, bispos e papas reúnem-se na cidade italiana de Trento (Concílio de Trento) com o objetivo de traçar um plano de reação. No Concílio de Trento ficou definido : - Catequização dos habitantes de terras descobertas, através da ação dos jesuítas;- Retomada do Tribunal do Santo Ofício - Inquisição : punir e condenar os acusados de heresias- Criação do Index Librorium Proibitorium (Índice de Livros Proibidos): evitar a propagação de idéias contrárias à Igreja Católica.
Intolerância Em muitos países europeus as minorias religiosas foram perseguidas e muitas guerras religiosas ocorreram, frutos do radicalismo. A Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), por exemplo, colocou católicos e protestantes em guerra por motivos puramente religiosos. Na França, o rei mandou assassinar milhares de calvinistas na chamada Noite de São Bartolomeu.

CONTEÚDO: ENSINO MÉDIO - 1º ANO
O EGITO ANTIGO.

História do Egito Antigo Religião politeísta, Economia, Sociedade, pirâmides, faraós, cultura e ciência dos egípcios, escrita hieroglífica, Rio Nilo, história da África, desenvolvimento científico, cultura e arte, resumoPirâmides de Gizé no Egito Introdução A civilização egípcia antiga desenvolveu-se no nordeste africano (margens do rio Nilo) entre 3200 a.C (unificação do norte e sul) a 32 a.c (domínio romano). Como a região é formada por um deserto (Saara), o rio Nilo ganhou uma extrema importância para os egípcios. O rio era utilizado como via de transporte (através de barcos) de mercadorias e pessoas. As águas do rio Nilo também eram utilizadas para beber, pescar e fertilizar as margens, nas épocas de cheias, favorecendo a agricultura.

A sociedade egípcia estava dividida em várias camadas, sendo que o faraó era a autoridade máxima, chegando a ser considerado um deus na Terra. Sacerdotes, militares e escribas (responsáveis pela escrita) também ganharam importância na sociedade. Esta era sustentada pelo trabalho e impostos pagos por camponeses, artesãos e pequenos comerciantes. Os escravos também compunham a sociedade egípcia e, geralmente, eram pessoas capturadas em guerras.Trabalhavam muito e nada recebiam por seu trabalho, apenas água e comida.
Hieróglifos: a escrita egípciaA escrita egípcia também foi algo importante para este povo, pois permitiu a divulgação de idéias, comunicação e controle de impostos. Existiam duas formas principais de escrita: a demótica (mais simplificada) e a hieroglífica (mais complexa e formada por desenhos e símbolos). As paredes internas das pirâmides eram repletas de textos que falavam sobre a vida do faraó, rezas e mensagens para espantar possíveis saqueadores. Uma espécie de papel chamado papiro, que era produzido a partir de uma planta de mesmo nome, também era utilizado para registrar os textos.

A economia egípcia era baseada principalmente na agricultura que era realizada, principalmente, nas margens férteis do rio Nilo. Os egípcios também praticavam o comércio de mercadorias e o artesanato. Os trabalhadores rurais eram constantemente convocados pelo faraó para prestarem algum tipo de trabalho em obras públicas (canais de irrigação, pirâmides, templos, diques). A religião egípcia era repleta de mitos e crenças interessantes. Acreditavam na existência de vários deuses (muitos deles com corpo formado por parte de ser humano e parte de animal sagrado) que interferiam na vida das pessoas. As oferendas e festas em homenagem aos deuses eram muito realizadas e tinham como objetivo agradar aos seres superiores, deixando-os felizes para que ajudassem nas guerras, colheitas e momentos da vida. Cada cidade possuía deus protetor e templos religiosos em sua homenagem.Como acreditavam na vida após a morte, mumificavam os cadáveres dos faraós colocando-os em pirâmides, com o objetivo de preservar o corpo. A vida após a morte seria definida, segundo crenças egípcias, pelo deus Osíris em seu tribunal de julgamento. O coração era pesado pelo deus da morte, que mandava para uma vida na escuridão aqueles cujo órgão estava pesado (que tiveram uma vida de atitudes ruins) e para uma outra vida boa aqueles de coração leve. Muitos animais também eram considerados sagrados pelos egípcios, de acordo com as características que apresentavam : chacal (esperteza noturna), gato (agilidade), carneiro (reprodução), jacaré (agilidade nos rios e pântanos), serpente (poder de ataque), águia (capacidade de voar), escaravelho (ligado a ressurreição).

A civilização egípcia destacou-se muito nas áreas de ciências. Desenvolveram conhecimentos importantes na área da matemática, usados na construção de pirâmides e templos. Na medicina, os procedimentos de mumificação, proporcionaram importantes conhecimentos sobre o funcionamento do corpo humano.No campo da arquitetura podemos destacar a construção de templos, palácios e pirâmides. Estas construções eram financiadas e administradas pelo governo dos faraós. Grande parte delas eram erguidas com grandes blocos de pedra, utilizando mão-de-obra escrava. As pirâmides e a esfinge de Gizé são as construções mais conhecidas do Egito Antigo.

SEMANA DO MEIO AMBIENTE E CIDADANIA

Na Semana do Meio Ambiente a EEFM POLIVALENTE também é cidadania e respeito ao ser humano.
Foi desenvolvido dia 09 de junho de 2009, apresentação de seminários realizados pelos alunos do 3º ano da manha e noite, abordadno a temática: Educação Ambiental,: Lixo uma questão social - consiência ambiental, social e humana. Trabalho este, orientado pela Prof. Goreth - Especialista em Geografia e Meio Ambiente(URCA). O Projeto foi desenvolvido com o intuito de alertar para preservação ambiental e fazer uma reflexão da responsabilidade que cada um tem, como a escola se torna um espaço de vonviência de respeito e socialização envolvendo todos os atores incluídos neste espaço geográfico.
O foco das discussões foi mostrar a escola como resultado de um ambiente agradável, como parte do nosso dia-a-dia. A programação contou ainda com a apresentação da Banda de Rock da Escola, que fez a abertura e o encerramento do evento. Segundo a Prof. Goreth, o projeto se estenderá á comunidade cratense com exibição de documentários e palestras realizadas pelos alunos envolvidos no projeto na Praça da Sé. Parabéns aos queridos alunos: Amanda, Sidney, Silas, Cicero, Fernanda, Raiane e Ricardo.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

PRÁTICAS AVALIATIVAS EM CIÊNCIAS, GEOGRAFIA E HISTÓRIA
Avaliando a avaliação no ensino de ciências, história e geografia
TEXTO DE Jussara Hoffmann .
"Considero importante insistir em relação ao caráter multidimensional de uma prática avaliativa mediadora, em todas as disciplinas do currículo, apontando alguns princípios que defendo:

1. Conceber a avaliação como um projeto de futuro, no sentido de buscar garantir a todas as crianças e jovens uma aprendizagem para toda a vida. Para tanto, é preciso acreditar que não existe o "não-aprender", mas jeitos e tempos diferentes de aprender a aprender e de aprender sobre a vida. É preciso, sobretudo, respeitar a diversidade dos educandos, se pretendemos formar para a cidadania, reconhecendo todos como dignos de educação, atenção e respeito.

2. Entender que "valor" e/ou "qualidade" da aprendizagem são parâmetros sempre subjetivos e arbitrários. E que, portanto, devem ser sempre temas de reflexão e consenso pelo coletivo dos educadores. Tais parâmetros precisam ser considerados mutáveis, contextuais e éticos, condizentes com as concepções defendidas em cada área do conhecimento.

3. Acreditar que toda a aprendizagem se dá na relação de saber consigo mesmo, com os outros e com os objetos do saber. E isso concomitantemente. Portanto, desenvolver uma prática avaliativa de modo a privilegiar a expressão própria do pensamento dos alunos, a oportunizar-lhes vivências em ambientes interativos, a tornar disponíveis múltiplas e ricas fontes de informação sobre os objetos do saber. E de forma a garantir essas três condições de aprendizagem, todo o tempo e harmoniosamente, no ambiente escolar.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

EJA- EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

AVALIAÇÕES BIMESTRAIS - 2º BIMESTRE/2009
PERÍODO: 17 A 19 DE JUNHO
EM BREVE CALENDÁRIOS DAS AVALIAÇÕES POR DISCIPLINA E TURNO.
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO POLIVALENTE É RESULTADO COMPROVADO DA COMPETÊNCIA DE NOSSOS PROFESSORES EM RESGATAR A AUTO-ESTIMA DE NOSSOS JOVENS.


EJA - Educação de Jovens e Adultos - Ensino Fundamental
Um resgate a auto-estima e a inclusão social.



A EJA - POLIVALENTE - Por Isabela Almeida

A EJA - Educação de Jovens e Adultos - Ensino Fundamental, resgata os alunos que por uma razão maior abandonaram os seus estudos. Tentamos mostrar-lhes que " TEMPO PERDIDO" não existe. O ponto de partida é dado para todos, mais o ponto de chegada, a reta final depende do bom senso e da perseverança de cada um. Um grande abraço aos meus queridos alunos que continuam comigo e fieis aos seus ideais e ao Polivalente.
Esse programa é uma grande chance para aqueles alunos que por motivo de estrutura social e qualidade de vida das famílias, não tiveram a oportunidade de estudar na sua faixa etária considerável, porém com muito trabalho, conteúdos e força de aprender e ensinar nunca é tarde, pois a cada dia aprendemos com a escola da vida, com o outro, com eles... os alunos da EJA.
Prof. Pablo Henrique Pereira Batista. EJA - Noite

DEPOIMENTO

ALUNA: TOINHA

" Eu toinha nº 5 da EJA IV, reconheço que já perdi muito tempo, por isso eu estou aqui querendo mais conhecimento da vida social. Gostaria de terminar o ensino fundamental e médio para consequir algo melhor, para eu e minha família".

BRASIL ALFABETIZADO

Seis mil pessoas podem ser beneficiadas com o projeto.

De acordo com Fátima Cândido, que é orientadora da Célula de Programas e Projetos Federais, a demanda em Fortaleza de pessoas com mais de 15 anos que poderiam ser beneficiadas com o projeto Brasil Alfabetizado no Ceará soma 6 mil pessoas.“É uma dívida social que temos com essa população”, justifica a professora.

No Ceará, 173 municípios aderiram ao projeto através da Seduc, mas há prefeituras que atuam diretamente junto ao Ministério da Educação. Nesses casos, o Estado só acompanha o processo.Nesses 173 municípios, 84.179 alunos serão atendidos com orçamento de R$ 834.200,00 para a execução dos trabalhos de 2008, que começam em maio e junho. [

Os alunos também serão beneficiados com o Olhar Brasil, projeto federal que concede óculos de grau para quem tem dificuldade de enxergar. As turmas serão atendidas, durante oito meses, nas zonas urbana e rural. Para 2009, está prevista a participação da Pastoral da Terra, com 900 alunos.Apoio técnicoOs trabalhos da Unesco voltados para a educação brasileira têm dois pilares: a qualidade e a igualdade. Segundo dados da entidade, a baixa absorção de conceitos científicos prejudica a inclusão de indivíduos na sociedade.

Com base nisso, a Unesco oferece apoio técnico e conhecimentos para tratar do tema.Nas últimas décadas, o País alcançou progressos significativos que permitiram praticamente atingir a universalização do ensino fundamental obrigatório (93,8% em 2003). Todavia, o Brasil ainda apresenta deficiências no acesso à educação para a primeira infância e ensino médio. No Brasil, 281 pessoas já assinaram o Manifesto da Grande Leitura, que a Unesco encaminhará a autoridades, exigindo que todas as pessoas tenham acesso à educação de qualidade.
Marta Bruno

Repórter - Diário do Nordeste - 25/04/2009.

Edição:

Edivan Moreira - Prof. Especialista em Geografia e Meio Ambiente - URCA

Atualmente. Prof. de História e Geografia do Ensino Médio no Polivalente.





POLIVALENTE UMA ESCOLA DIFERENTE

AQUI VOCÊ ENCONTRA VALORES QUE SIGNIFICAM CIDADANIA E IGUALDADE COM RESPEITO AS DIFERENÇAS. Esta educação cuja meta é valorizar o desenvolvimento de uma sociedade mais justa e igualitária, agregada ao fato de fortalecer cada vez mais a democracia no processo pedagógico, encontra no projeto de Gestão Democrática da Escola, uma oportunidade real de transformar a escola em um espaço público onde diversas pessoas têm a possibilidade de articular suas idéias, estabelecer diálogo e considerar diferentes pontos de vista

PROJETO AFRO-DESCENDÊNCIA - LEI 10639/2003

TURMAS DE ALUNOS DESTAQUES

ESCOLA POLIVALENTE

Minha foto
CRATO, CEARÁ, Brazil
UMA ESCOLA DIFERENTE E DE INCLUSÃO